Please use this identifier to cite or link to this item: https://rigeo.sgb.gov.br/handle/doc/1215
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorSILVA, Lúcia Maria Costa e
dc.date.accessioned2014-06-16T18:05:17Z
dc.date.available2014-06-16T18:05:17Z
dc.date.issued2006
dc.identifier.citationSILVA, Lúcia Maria Costa e. DesG: uma nova metodologia para inversão e coleta de dados magnetotelúrico. Orientador: João Batista Corrêa da Silva. 2006. 1 CD-ROM. Tese (Doutorado em Geofísica) - Centro de Geociências, Universidade Federal do Pará, Belém, 2006.pt_BR
dc.identifier.urihttps://rigeo.sgb.gov.br/handle/doc/1215
dc.description.abstractEsta tese apresenta duas contribuições para a interpretação geofísica, voltadas ao Método Magnetotelúrico. A primeira trata de uma nova abordagem para a interpretação MT, denominada MÉTODO DESCRITIVO-GEOLÓGICO (DesG), em alusão à incorporação explícita de informação a priori de correlação fácil com a descrição geológica tradicional. O intérprete define por meio de elementos geométricos (pontos e linhas) o arcabouço de feições geológicas bem como fornece valores de resistividade aos corpos geológicos presumidos. O método estima a distribuição de resistividade subsuperficial em termos de fontes anômalas próximas aos elementos geométricos, ajustando as respostas produzidas por estes corpos às medidas de campo. A solução obtida fornece então informações que podem auxiliar na modificação de algumas informações a priori imprecisas, permitindo que sucessivas inversões sejam realizadas até que a solução ajuste os dados e faça sentido geológico. Entre as características relevantes do método destacam-se: (i) os corpos podem apresentar resistividade maior ou menor do que a resistividade do meio encaixante, (ii) vários meios encaixantes contendo ou não corpos anômalos podem ser cortados pelo perfil e (iii) o contraste de resistividade entre corpo e encaixante pode ser abrupto ou gradativo. A aplicação do método a dados sintéticos evidencia, entre outras vantagens, a sua potencialidade para estimar o mergulho de falhas com inclinação variável, que merece especial interesse em Tectônica, e delinear soleiras de diabásio em bacias sedimentares, um sério problema para a prospecção de petróleo. O método permite ainda a interpretação conjunta das causas do efeito estático e das fontes de interesse. A aplicação a dados reais é ilustrada tomando-se como exemplo dados do COPROD2, cuja inversão produziu soluções compatíveis com o conhecimento geológico sobre a área. A segunda contribuição refere-se a desenho de experimento geofísico. Por meio de indicadores diversos, em especial a matriz densidade de informação, é mostrado que a resolução teórica dos dados pode ser estudada, que guia o planejamento da prospecção. A otimização do levantamento permite determinar os períodos e as posições das estações de medida mais adequados ao delineamento mais preciso de corpos cujas localizações são conhecidas aproximadamente.pt_BR
dc.language.isopt_BRpt_BR
dc.rightsopenpt_BR
dc.subjectGEOFÍSICApt_BR
dc.subjectMATRIZESpt_BR
dc.titleDesG: uma nova metodologia para inversão e coleta de dados magnetotelúrico.pt_BR
dc.typeThesis-
dc.localBelém
Appears in Collections:Teses

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Lucia_Costa_Silva.pdfproducao cientifica2,49 MBAdobe PDFThumbnail
View/Open


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.