Please use this identifier to cite or link to this item: https://rigeo.sgb.gov.br/handle/doc/541
Full metadata record
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.authorLARIZZATTI, João Henrique
dc.contributor.authorOLIVEIRA, Sonia Maria Barros de
dc.date.accessioned2013-12-19T16:32:38Z
dc.date.available2013-12-19T16:32:38Z
dc.date.issued2005
dc.identifier.citationLARIZZATTI, João Henrique; OLIVEIRA, Sonia Maria Barros de. Evolução Geoquímica e balanço de massa na formação e degradação de perfis lateríticos encouraçados na área da Fazenda Pison, Vale do Rio Tapajós, Amazônia Central. Revista Brasileira de Geociências, São Paulo, v.35, n.2, p.273-284.
dc.identifier.urihttps://rigeo.sgb.gov.br/handle/doc/541
dc.description.abstractNa Província Tapajós, situada na porção centro-sul do craton amazônico, a paisagem é dominada por suaves colinas resultantes da in cisão da superfície Velhas, de idade neógena. Durante a elaboração dessa superfície, sob clima mais seco que o atual, formou-se um manto laterítico capeado por couraça ferruginosa. Com o advento de um clima mais úmido, essa couraça entrou em desequilíbrio, transformando-se em latossolos concrecionários. No perfil intempérico completo (20 a 30 m de espessura) distinguem- se 5 horizontes: (1) horizonte saprolítico, (2) horizonte de argila mosqueada, (3) couraça ferruginosa, (4) latossolo vermelho e (5) latossolo amarelo. Os dados químicos referentes a elementos maiores e traços dosados em amostras provenientes dos 5 horizontes da cobertura de alteração na área da Fazenda Pison foram submetidos à análise fatorial modo Q com rotação varimax (26 amostras, 24 variáveis). Os resultados permitiram identificar 3 grupos de elementos de comportamento distinto. O primeiro, compreendendo Si, Ca, Na, Mg, K, Mn, Ba, Cu, Zn e Rb, apresenta os teores mais elevados no saprólito e representa os minerais primários residuais e as concreções manganesíferas que ocorrem na base do perfil. O segundo, composto por Fe, V, Cr, S e Ga, representa a assinatura geoquímica da couraça. Finalmente, o terceiro grupo (Al, Ce, La, Nb, Zr , Sr, Ti, P e Pb) está relacionado aos horizontes mais ricos em caolinita, ou seja, o horizonte de argila mosqueada e os latossolos. O cálculo do balanço de massa isotitânio indicou mudanças volumétricas entre 50 e 60% nos horizontes sobrepostos ao saprólito. Houve forte perda de Ca, Na, K e Mg (–80 a –100%), e perda moderada de Si (–65 a –80%) e Al (–45 a –65% ) ao longo do perfil. O ferro mostra ganhos absolutos moderados na argila mosqueada (+50 a +60%) e fortes na couraça (+330 a +700%); nos latossolos houve perda moderada (–20 a –38%) desse elemento. A acumulação absoluta de ferro na couraça foi provavelmente devida à migração vertical desse elemento a partir dos horizontes saprolíticos de uma cobertura laterítica pretérita. Durante a degradaçã o da couraça para latossolos, Fe sofreu lixiviação e Si e Al concentraram-se nos latossolos. Entretanto, os latossolos não derivam apenas da degradação da couraça. Parte de seu conteúdo em sílica deve ser devida ao transporte para cima de material do horizonte de argila mosqueada pela atividade dos cupins
dc.languagept_BR
dc.subjectGEOQUÍMICA
dc.titleEvolução Geoquímica e balanço de massa na formação e degradação de perfis lateríticos encouraçados na área da Fazenda Pison, Vale do Rio Tapajós, Amazônia Central
dc.typeArticle-
dc.localSão Paulo
Appears in Collections:Artigos de Periódicos

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
1492.pdf
  Restricted Access
producao cientifica4,63 MBAdobe PDFView/Open Request a copy


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.